O REENCONTRO ENTRE A ÁGUIA E O CONDOR

Gabriela Pinilla, Camilo Torres no Teatro a Candelaria, ilustração de livro.
Aquarela sobre papel, 20 X 25 cm. 2018, Bogotá, Colombia

Por Leonardo Boff

Ainda voaremos juntos, a Águia do Norte com o Condor do Sul sob a luz benfazeja do Sol que nos mostrará o melhor caminho

O planeta Terra devido à sistemática agressão nos últimos séculos está num franco e perigoso declínio. A intrusão do Covid-19 afetando diretamente todo o planeta e exclusivamente a espécie humana é um entre os severos sinais de que a Terra viva nos está enviando: nosso modo de vida é demasiadamente destrutivo levando à morte a milhões de seres humanos e a seres da natureza. Temos que mudar nosso modo produzir, de consumir e de morar na única Casa Comum, caso contrário podemos conhecer um armagedon ecológico-social.

Continue Lendo

DIA MUNDIAL DO MEIO AMBIENTE: VERGONHA DE SER HUMANO

Por José Estáquio Diniz Alves / IHU

“Se a dinâmica demográfica e econômica continuar sufocando a dinâmica biológica e ecológica a civilização caminhará para o abismo e o suicídio. Porém, antes de o antropoceno provocar uma extinção em massa da vida na Terra é preciso uma ação radical no sentido de conter a ganância egoística e garantir a saúde do meio ambiente. Senão teremos vergonha de sermos seres humanos”, escreve José Eustáquio Diniz Alves, doutor em demografia e professor titular do mestrado e doutorado em População, Território e Estatísticas Públicas da Escola Nacional de Ciências Estatísticas – ENCE/IBGE. O artigo é publicado por EcoDebate, 04-06-2014.

Continue Lendo

ADOECEMOS A TERRA E A TERRA NOS ADOECE

Os seres humanos são agentes da saúde e das enfermidades do planeta
Leonardo Boff*

Isaac Asimov, cientista russo, famoso por seus livros de divulgação científica, a pedido da revista New York Times, (do dia 9 de outubro de 1982) por ocasião da celebração dos 25 anos do lançamento do Sputinik que inaugurou a era espacial, escreveu um artigo sobre o legado deste quarto de século espacial.

O primeiro legado, disse ele, é a percepção de que, na perspectiva das naves espaciais, a Terra e a humanidade formam uma única entidade, vale dizer, um único ser, complexo, diverso, contraditório e dotado de grande dinamismo.

Continue Lendo

PRESERVAÇÃO DO SOLO: DOCUMENTÁRIO QUE TRAZ OS ARGUMENTOS DE GISELE BüNDCHEN E TOM BRADY

(Foto: Divulgação)

Para realmente reverter a mudança climática, não basta apenas adotar carros elétricos, parques eólicos e painéis solares. Há uma solução que pode funcionar e está “bem debaixo dos nossos pés”: o solo. A agrônoma Ana Maria Primavesi já ensinava a importância do solo desde os anos 50, do século XX.

Como o solo da Terra pode ser fundamental para o combate às mudanças climáticas e a preservação do planeta é tema do documentário “Solo Fértil”, lançado pela Netflix.

“Há tantas notícias ruins sobre o nosso planeta que são avassaladoras. O medo de estarmos indo para um penhasco deixa a maioria de nós em um estado de paralisia. A verdade é que desisti. E as chances são você também. Mas e se houvesse outro caminho?”, diz o narrador e ator Woody Harrelson no início do documentário. (Trailer a seguir)

Continue Lendo

VÍDEO: O PLANETA DOS HUMANOS

Um documentário que mostra uma realidade diferente daquela costumeira que nos é mostrada.

“Nós humanos, devemos aceitar que o crescimento infinito em um planeta finito, é suicídio.”

“Não é a molécula de dióxido de carbono que está destruindo o planeta. É a gente.

“A humanidade é desfiada, como nunca foi desafiada antes, para provar sua maturidade e domínio – não da natureza, mas de si mesma.”

Título original: Planet of the Humans

Produtor Executivo: Michael Moore Produzido por: Ozzie Zehner Um filme de: Jeff Gibbs Produção: Huron Mountain Films

Continue Lendo

MUNDO PERDEU 68% DOS ANIMAIS SELVAGENS EM MENOS DE 50 ANOS, APONTA WWF.

WWF rastreou mais de 4.000 espécies de vertebrados para o relatório.

Situação é mais alarmante em subregiões tropicais das Américas do Sul e Central, onde redução chega a 94%. Relatório mostra que diminuição da biodiversidade ameaça a segurança alimentar e pode levar a novas pandemias.

Por Deutsche Welle

O mundo perdeu mais de dois terços das populações de mamíferos, aves, anfíbios, répteis e peixes selvagens em menos de 50 anos, principalmente devido à atividade humana desenfreada, informou nesta quinta-feira (10/09) o Fundo Global para Natureza (WWF).

Os dados estão na 13ª edição do  relatórioÍndice Planeta Vivo, lançado pelo WWF em todo o mundo e que aponta que o desmatamento crescente e a expansão agrícola são os principais responsáveis ​​pela queda de 68% das populações desses animais entre 1970 e 2016.

Continue Lendo