ALPHAVILLE E ALPHAVELLA, ALGUMA DIFERENÇA?

Por Gilmar Machado /Humor Polítuico

Gente rica reprime o policial e o policial reprime gente pobre. A charge do Gilmar Machado é bem o que acontece no dia a dia da relação entre a polícia e a população. Claro, sempre pendendo mais para as ocorrências que não “envolve” ricos e poderosos. Esses, tramam por cima, como sempre. “Marinho me ajuda por favor”, diz o ricaço na frente dos PMs. ( veja no vídeo abaixo como o “cidadão de bem”,trata os policiais)

Assim como é degradante ver a polícia massacrando negros e pobres, é também revoltante ver um sujeito, acusado de bater na esposa, vomitar ofensas contra os policiais que foram atender a ocorrência..

Continue Lendo

OS CONFETES DA CRISE

Maria Cristina Fernandes (imagem:Twitter)

O apoio a motins policiais e a manifestações de afronta ao Congresso tem todos os ingredientes para radicalizar o presente e comprometer o futuro deste governo. Uma adensada reação política à escalada autoritária dificultaria a recomposição com a qual se busca redirecionar as bases deste governo a partir das eleições municipais e, assim, esvaziar as alternativas ao centro. Não há, contudo, indicações de que este virá a ser o desfecho da crise.

As primeiras reações ao vídeo compartilhado pelo presidente de convocação a manifestações contra o Congresso indicavam que Jair Bolsonaro havia cavado sua própria cova. Se as digitais bolsonaristas nos motins policiais deixaram Ciro Gomes na condição de Rei Momo da reação, a convocação bolsonarista adensou-a ao centro com o tuíte do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso sobre os riscos em curso (“crise institucional de gravíssimas consequências”) e o repúdio do decano do Supremo Tribunal Federal, Celso de Mello (“se confirmado, indica um presidente que não está a altura do altíssimo cargo que exerce”).

Irresponsabilidade presidencial vai findar em acordo

Continue Lendo

ESCOLA ADMINISTRADA PELA PM IMITA DOUTRINAÇÃO NAZISTA E SAÚDA BOLSONARO. veja o vídeo

Postado por Valentin  Ferreira  / da Revista Fórum

Vários alunos se negaram a participar. Foram solicitadas explicações à PM e à secretaria de Educação que até o momento não se manifestaram.

Da Redação*

O Colégio Waldocke Fricke de Lyra, de Manaus, é uma das oito escolas estaduais administradas pela PM por meio de um acordo com a Secretaria de Educação do Amazonas.

Diante de dois policiais militares, nove filas de alunos do terceiro ano da escola repetem em coro, com as mãos para trás, o que um dos policiais grita: “Convidamos Bolsonaro, salvação dessa nação/ Nos quatro cantos ouvirão completa nossa canção”.

Continue Lendo