A BELA RESPOSTA DE LEONARDO, DO MASTERCHEF, PARA “volta pra senzala embuste lixo”

Por Valentin Ferreira

“E quando eu faço alguma coisa no programa que não agrada gente como vocês, tenho cada vez mais certeza que estou no caminho certo. Muito obrigado por me acordar de madrugada com uma porcaria dessas, mas que foi capaz de mostrar o quanto somos diferentes, graças a Deus”, diz um trecho da resposta.

Da Revista Fórum

O participante do programa Masterchef Brasil, da Rede Bandeirantes, Leonardo Santos, denunciou, neste domingo (2), em seu perfil no Facebook, que tem recebido ataques racistas. Ao invés de esmorecer, no entanto, Leonardo deu uma bela resposta.

“Se doeu? Não, nenhum pouco. Durante toda a minha vida eu fui perseguido nos corredores dos supermercados, tive minhas notas de dinheiro reviradas e conferidas pelo caixa do supermercado 40 mil vezes, fui desprezado pelo vendedor por achar que eu não poderia comprar algo, e várias outras situações que qualquer outro cidadão negro já passou.”

Continue Lendo

EU NÃO SOU SEU NEGRO PERGUNTA: QUEM É BÁRBARO?

Por Elaine Santos: Outras Palavras

Como Frantz Fanon, James Baldwin parece acreditar: brancos e negros “têm de se afastar das vozes desumanas de seus ancestrais respectivos, a fim de que nasça uma autêntica comunicação”

James Baldwin foi poeta e crítico social afro americano, nascido em Nova York em 1924. Tem nos romances suas críticas centrais acerca das diversas opressões daquele momento histórico, da luta por direitos civis nos Estados Unidos na década de 60. Baldwin, como a maioria dos negros e negras do mundo possui uma história de luta permeada pelo sofrimento desde infância. O documentário, que pretende ser uma biografia de Baldwin, relatando através de sua escrita e dos gestos irônicos que transparecem uma doçura e um bravio, tencionava mostrar as dificuldades do seu livro inacabado Remember this house, que seria uma história da América através das vidas de Martin Luther King, Jr. (1929-1968), o ativista dos direitos civis Medgar Evers (1925-1963), e Malcolm X (1925-1965), amigos de Baldwin, assassinados antes de completar 40 anos. O documentário é um daqueles que nos deixam inquietantes e com vergonha de viver em uma sociedade onde pessoas se auto destroem em nome de uma ojeriza ao outro, o diferente. Como dizia … Continue Lendo