BOAVENTURA: OS TRÊS CAVALEIROS NA NOVA PESTE

Por Boaventura de Souza Santos/Outras Palavras

É hoje consensual que a atual pandemia vai ficar conosco muito tempo. Vamos entrar num período de pandemia intermitente, cujas características precisas ainda estão por definir. O jogo entre o nosso sistema imunitário e as mutações do vírus não tem regras muito claras. Teremos de viver com a insegurança, por mais dramáticos que sejam os avanços das ciências bio-médicas contemporâneas. Sabemos poucas coisas com alguma certeza.

Sabemos que a recorrência de pandemias está relacionada com o modelo de desenvolvimento e de consumo dominantes, com as mudanças climáticas que lhe estão associadas, com a contaminação dos mares e dos rios e com o desmatamento das florestas. Sabemos que a fase aguda desta pandemia (possibilidade de contaminação grave) só terminará quando entre 60% e 70% da população mundial estiver imunizada.

Continue Lendo

RICHARLISON: “AS PESSOAS DE ONDE EU VENHO NÃO TÊM VOZ E NEM VEZ”

Da Coluna de Anselmo Gois /Via DCM:

or que é raro encontrar um atleta brasileiro engajado nas lutas sociais e políticas? Com esta questão na cabeça, fomos ouvir Richarlison, jogador do time inglês Everton e da seleção brasileira. Aqui o importante relato que merece uma reflexão:

“Ultimamente, em toda entrevista que eu dou, uma pergunta é certa: ‘Por que você se posiciona?’ Mas talvez o melhor fosse ‘Por quem você se posiciona?’ É muito importante que isso fique claro.
As pessoas de onde eu venho não têm voz e nem vez. Poucos, até hoje, procuraram saber o que é importante ou o que falta para que elas vivam melhor. No Brasil é assim, muitos só recebem atenção em época de eleição.

Continue Lendo

MORTES DE BOURDAIN E KATE SPADE JOGAM LUZ EM ALTA DE 25% DOS SUICÍDIOS NOS EUA

Postado por Valentin FerreiraJá é a décima principal causa de morte no país e tirou a vida de 45.000 pessoas em 2016

Por Sandro Pozzi / El País

As trágicas mortes, nesta semana, da estilista Kate Spade e do renomado chef Anthony Bourdain chamaram a atenção para um problema de saúde pública crescente nos Estados Unidos. O índice de suicídios cresceu 25% em menos de duas décadas, segundo dados do Centro para o Controle e Prevenção de Doenças (CDC, na sigla em inglês), e é a décima principal causa de morte nos EUA. Na metade dos Estados do país, o aumento passou de 30% desde 1999.

Continue Lendo