O SILÊNCIO QUE NOS CURA

O silêncio está se revelando um antídoto fundamental de prevenção, por exemplo, em distúrbios mentais como a depressão ou na doença de Alzheimer

Por Juan Arias

Neurocientistas, estudiosos dos mecanismos cerebrais, estão descobrindo a dimensão terapêutica do silêncio. Dizem que, em contraposição ao ruído, o silêncio está se revelando um antídoto fundamental de prevenção, por exemplo, em distúrbios mentais como a depressão ou na doença de Alzheimer. E no bem-estar geral do organismo, a começar com um sono melhor e mais profundo.

E esses mesmos especialistas na dinâmica do cérebro e da memória alertam, por sua vez, para a falta de espaços de silêncio em nossa civilização do ruído, à qual se acrescentou o estrondo das redes sociais. O silêncio hoje se esconde, envergonhado, nos nichos dos que estão descobrindo suas vantagens para o corpo e para a alma.

Continue Lendo

O CORINGA QUE HABITA EM CADA UM DE NÓS

Em um país dominado pelo ódio disseminado desde 2013 por meios de comunicação e onde a pobreza aumenta nos últimos anos, comportamentos agressivos comprovam que Joker é uma metáfora para nossos dias

Por Armando Januário (*) / Carta Maior

Em menos de uma semana, assisti Joker (Coringa) duas vezes. Nesse período, vivi situações que considero ligadas ao filme. Sinto necessidade de descrevê-las, e, a partir de uma análise, refletir sobre nossa sociedade.

Fui a uma pequena loja trocar a pilha do meu velho relógio de bolso, estilo século XIX, e perguntei por um dos funcionários, por quem tenho estima. Informado pelo colega dele acerca do seu estado de saúde – ele vem enfrentando o alcoolismo – mencionei como a psicologia é útil em ajudar pessoas com essa drogadição. Sem que eu percebesse, o funcionário adentrou o espaço da loja e me disse, visivelmente alcoolizado: “você é psicólogo p… nenhuma!” [sic]

Continue Lendo

“AS PESSOAS NÃO DEBATEM CONTEÚDO, APENAS RÓTULOS…A MINHA ALMA TEM PRESSA” Por Mario de Andrade

Postado por Blog do Valentin]

Nós todos sabemos que a vida muitas vezes não é longa o suficiente para viver tanto quanto gostaríamos, mas muitas vezes, além disso, não somos capazes de valorizar o que temos, o que vemos, desperdiçamos tempo com coisas que não merecem, não porque sejam irrelevantes, mas porque nosso coração não está nelas.

Mário de Andrade nos deixa um lindo poema (O valioso tempo dos maduros), que nos mostra uma bela apreciação da vida, que se conseguirmos nos inspirar nele, podemos sem dúvida dar muito mais valor a cada segundo com esse presente que chamamos vida. Leia e reflita:

Continue Lendo