ENSINE AS CRIANÇAS A PENSAR, NÃO O QUE PENSAR.

Um professor sufi tinha o hábito de contar uma parábola ao final de cada aula, mas os alunos nem sempre entendiam a mensagem dela.

– Professor – um de seus alunos disse desafiadoramente um dia – você sempre nos conta uma história, mas nunca explica seu significado mais profundo.

– Peço desculpas por ter realizado essas ações – o professor pediu desculpas – me permita reparar o meu erro, vou lhe oferecer meu delicioso pêssego.

– Obrigado professor.

Continue Lendo

FALAR SOZINHO EM VOZ ALTA: UM HÁBITO TERAPÊUTICO

Foto : reprodução

Falar em voz alta consigo mesmo parece loucura, assim como ter um diálogo interno consigo mesmo para aliviar sua tristeza e preocupações. Na verdade, são hábitos muito terapêuticos, porque a comunicação consigo mesmo é vital, catártica e emocionalmente necessária para satisfazer as próprias necessidades.

Aldous Huxley disse que existe apenas uma pequena parte do universo que podemos conhecer e melhorar, algo que nos pertence: nós mesmos. No entanto, por mais curioso que pareça, nem sempre nos damos a atenção que merecemos. Abandonamo-nos como quem esquece o seu diário pessoal na gaveta, como quem deixa as chaves da casa na mala dos outros .

Continue Lendo

O SILÊNCIO QUE NOS CURA

O silêncio está se revelando um antídoto fundamental de prevenção, por exemplo, em distúrbios mentais como a depressão ou na doença de Alzheimer

Por Juan Arias

Neurocientistas, estudiosos dos mecanismos cerebrais, estão descobrindo a dimensão terapêutica do silêncio. Dizem que, em contraposição ao ruído, o silêncio está se revelando um antídoto fundamental de prevenção, por exemplo, em distúrbios mentais como a depressão ou na doença de Alzheimer. E no bem-estar geral do organismo, a começar com um sono melhor e mais profundo.

E esses mesmos especialistas na dinâmica do cérebro e da memória alertam, por sua vez, para a falta de espaços de silêncio em nossa civilização do ruído, à qual se acrescentou o estrondo das redes sociais. O silêncio hoje se esconde, envergonhado, nos nichos dos que estão descobrindo suas vantagens para o corpo e para a alma.

Continue Lendo

O CORINGA QUE HABITA EM CADA UM DE NÓS

Em um país dominado pelo ódio disseminado desde 2013 por meios de comunicação e onde a pobreza aumenta nos últimos anos, comportamentos agressivos comprovam que Joker é uma metáfora para nossos dias

Por Armando Januário (*) / Carta Maior

Em menos de uma semana, assisti Joker (Coringa) duas vezes. Nesse período, vivi situações que considero ligadas ao filme. Sinto necessidade de descrevê-las, e, a partir de uma análise, refletir sobre nossa sociedade.

Fui a uma pequena loja trocar a pilha do meu velho relógio de bolso, estilo século XIX, e perguntei por um dos funcionários, por quem tenho estima. Informado pelo colega dele acerca do seu estado de saúde – ele vem enfrentando o alcoolismo – mencionei como a psicologia é útil em ajudar pessoas com essa drogadição. Sem que eu percebesse, o funcionário adentrou o espaço da loja e me disse, visivelmente alcoolizado: “você é psicólogo p… nenhuma!” [sic]

Continue Lendo