E O INFERNO SE FEZ EM DUZENTOS ANOS

Há 12 milênios, um clima especialmente ameno permitiu ao Homo sapiens desenvolver-se plenamente. Mas seu esplendor deu-se às custas de todas as demais espécies Neste divórcio estão as raízes da crise civilizatória e da tragédia que bate às portas

Por José Eustáquio Diniz Alves, no EcoDebate“

“Estamos em um carro gigante, acelerando na direção de uma parede de tijolos e todo mundo fica discutindo sobre onde cada um vai sentar”
David Suzuki

Homo sapiens surgiu e se espalhou pelo mundo no período geológico do Pleistoceno, mas foi no Holoceno que floresceu a civilização e a espécie humana se tornou uma força onipresente no território global. A população mundial era de cerca de 5 milhões de habitantes no início do período Holoceno, há cerca de 12 mil anos. A estabilidade climática do Holoceno propiciou o florescimento do desenvolvimento econômico e social e o ser humano expandiu as atividades agrícolas, a domesticação dos animais, construiu cidades e montou uma máquina de produção e consumo de bens e serviços jamais vista nos 4,5 bilhões de anos da Terra.

Continue Lendo

A 4a. REVOLUÇÃO INDUSTRIAL E O FUTURO DO EMPREGO

Postado por Valentin Ferreira

Nos dias de hoje, dominar o fogo parece ser uma tarefa trivial, contudo, há 1,5 milhões de anos apenas um número muito reduzido de seres humanos conheciam e partilhavam esta técnica. Para as tribos que não tinham este conhecimento, só teriam acesso ao fogo se o roubassem. No filme Quest for Fire de 1981, um membro de uma tribo, que não domina a técnica do fogo, observa incrédulo a produção de fogo através da fricção de dois pequenos paus de madeira. A partir deste momento, este ser humano possui um valor inestimável na sua bagagem de conhecimentos. Com a proliferação desta tecnologia, a vida humana nunca mais será a mesma.

Continue Lendo

ESTUDO APONTA AS 30 PROFISSÕES QUE ESTÃO SURGINDO COM A INDÚSTRIA 4.0

Postado por Valentin FerreiraNa industria 4.0, novas profissões vão surgir em um ambiente controlado por inteligência artificial. (Governo do Espírito Santo/ Divulgação)

Trabalho do Senai identificou ocupações em oito áreas mais impactadas.

Não há dúvida de que a corrida tecnológica vem impactando fortemente as profissões em diversos países do mundo, criando, inclusive, novas atividades para atender a uma demanda crescente do mercado que busca se atualizar frente aos concorrentes. No Brasil, instituições como o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), responsável pela formação profissional, confirmam a tendência dessa revolução.

Baseado neste cenário, estudo divulgado hoje (05) pelo Senai mostrou que 30 novas profissões vão surgir ou ganhar mais relevância com a chamada indústria 4.0, conceito relacionado às chamadas fábricas inteligentes, da quarta revolução industrial, determinada pelas tecnologias digitais, como internet das coisas, big data e inteligência artificial.

Continue Lendo