PROCURA-SE GOVERNO QUE RESPEITE O “BRASIL ACIMA DE TUDO”

Por Valentin Ferreira

A hora que uma boa parcela da população brasileira se der conta que o que menos interessa a Jair Bolsonaro é governar o Brasil, talvez possamos ter um governo que governa.

Ler e ver os lances e resultados da visita do governante brasileiro à poderosa nação do Norte, é alguma coisa que beira a chacota. Melhor, é deprimente, não fosse catastrófico.

Vimos um negociador que tudo entregou e nada trouxe para casa, a não ser promessas, como as feitas pelos Ianques ao argentino Macri, que já está cansado de esperar, no caso do OCDE.

Sem entrar em detalhes sobre os resultados, fato que os melhores analistas e pessoas do ramo já o fizeram, mas como simples cidadão brasileiro, como os milhões que viram pela televisão seu presidente junto ao homem mais poderoso da terra, cabe  perguntar: E para nós brasileiros o que sobrou?

Continue Lendo

A ESTRATÉGIA DE INTERVENÇÃO NO BRASIL E NA VENEZUELA, Por Eugênio Aragão

Postado por Valentin  Ferreira

As aparências enganam. Quem vê a crise venezuelana como resultado de supostos desmandos autoritários de Nicolás Maduro erra tanto quanto aquele que aponta para a corrupção como causa do desastre político brasileiro. Não que Maduro não tenha cometido erros de avaliação e, quanto à corrupção no Brasil, também não é negável que é endêmica nas relações entre o público e o privado, desde tempos idos. Mas nem os eventuais equívocos do presidente venezuelano e nem desvios de conduta de agentes governamentais foram causas suficientes para o descalabro que ora se presencia em ambos os países.

Há algo em comum nos acontecimentos aqui e acolá, uma dinâmica social de polarização e radicalização que carrega a mesma caligrafia. Os padrões são muito parecidos nas manifestações proto-coxinhas de 2013-2016 e nas ruas de Caracas nestes dias. A indisfarçada e descarada imiscuição direta norte-americana na crise venezuelana talvez compõe o único diferencial. Aqui, Tio Sam foi mais discreto, mas nem por isso menos efetivo. Como explicar isso?

Continue Lendo