QUEM SÃO OS DEFENSORES DA CLOROQUINA E IVERMECTINA QUE FORAM VÍTIMAS DA COVID-19?

No dia 2 de outubro, cinco dias antes do primeiro turno, Luciano Hang publicou imagem
com funcionários da Havan e camiseta de Bolsonaro – Foto: Reprodução Twitter

Medicamentos não têm eficácia comprovada cientificamente contra o novo coronavírus

Do Brasil de Fato

Não há comprovação científica da eficácia do uso de cloroquina e hidroxicloroquina contra a covid-19, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS) e as instituições de saúde brasileiras. Ainda assim, há quem defenda o uso do medicamento, entre outros não comprovados, como ivermectina, para combater o vírus. Dessas, algumas morreram pela doença ou contraíram a covid-19 em sua forma grave. 

O caso mais recente é o do empresário Luciano Hang. Dono da rede de lojas Havan, Hang foi hospitalizado em decorrência da covid-19 em uma unidade da rede hospitalar Sancta Maggiore em São Paulo (SP) .

Continue Lendo

SE FOSSE APENAS O CIGARRO… TUDO O QUE DEVERÍAMOS FAZER PARA TER PULMÕES SAUDÁVEIS E SEQUER SABEMOS

Você só se lembra desses órgãos quando te falam sobre asma, DPOC e covid-19? Mau sinal

Po Carla Nieto Martínez

“Os pulmões são os grandes esquecidos do nosso organismo”, afirma categoricamente Àlvar Agustí, diretor da recém-criada Cátedra de Saúde Respiratória da Universidade de Barcelona (UB). Grande erro de cálculo: “É um contrassenso se levarmos em conta que podemos viver várias semanas sem comer ou vários dias sem beber, mas se pararmos de respirar a sobrevivência se limita a poucos minutos”. Fazemos isso acordados e dormindo, mais de 15.000 vezes por dia e poucas vezes conscientemente. Sua saúde apreciará que você lhes dê os cuidados adequados.

Continue Lendo

IMPACTO NA SAÚDE MENTAL SERÁ SEQUELA MAIS DEVASTADORA QUE A PANDEMIA.

Suicídios estão longe de ser provocados só por dilemas existenciais e filosóficos insolúveis, como ainda há quem pense

Por Drauzio Varella / Folha

Transtornos psiquiátricos serão as sequelas mais prevalentes da epidemia.

Embora o vírus possa provocar complicações tardias pulmonares, cardíacas, vasculares, renais, musculares e cerebrais, entre outras, o impacto na saúde mental será mais devastador, justamente por afetar uma área já problemática antes da pandemia.

Anos atrás, a OMS (Organização Mundial da Saúde) previu que depressão se tornaria a principal causa de absenteísmo nas empresas, a partir da década de 2020. Os trabalhadores faltariam mais por crises depressivas do que por dores na coluna, gripes e resfriados. No mercado financeiro de São Paulo, a previsão se confirmou antes de 2020.

Continue Lendo