PEDIDO DE DESCULPAS: QUANDO É FALSO OU VERDADEIRO

Decodificando um pedido de desculpas: 4 tipos de pedidos de desculpas falsos

Do Pensar Contemporâneo

Desculpa! – A palavra que somos ensinados a dizer a partir do momento em que aprendemos a falar quando fizemos algo que não deveríamos ter feito. Desculpa, é apenas isso, no entanto – uma palavra. O mais importante é a intenção por trás da pessoa que a pronuncia, e isso pode variar bastante.

Embora às vezes seja fácil saber quando o pedido de desculpas de alguém não é genuíno, por exemplo, um “desculpe …” altamente sarcástico, geralmente acompanhado de um suspiro exagerado e revirar dos olhos, nem sempre é tão óbvio.

Continue Lendo

NENHUMA HERANÇA É TÃO RICA QUANTO A HONESTIDADE

Postado por Blog do Valentin

“Honestidade é um presente muito caro. Não espere isso de pessoas baratas.” (W. Buffett.)

Por Alessandra Piassarollo / Caminhos

Parece-me que a honestidade anda em falta. Mas antes que os ânimos se exaltem, ressalto: não teremos conteúdo político por aqui. Vamos apenas falar deste bem preciso que tem sumido das nossas “prateleiras”.

Quando eu era criança, meus pais me ensinaram inúmeras formas de praticar a honestidade. Ensinaram que não era correto mentir e que a verdade tinha um valor inestimável; só nos era permitido mexer em nossos próprios pertences e nada de revirar os pertences dos outros; os objetos perdidos precisavam ser devolvidos ao dono, ainda que ficássemos tentados a recitar o famoso: “Achado não é roubado, quem perdeu foi relaxado”. Fomos instruídos e incentivados a manter uma postura correta diante da sociedade. Não tínhamos dinheiro, mas as lições de como se comportar eram oferecidas com fartura – e certa severidade, mas foram decisivas e inesquecíveis, posso garantir.

Continue Lendo

GOSTO QUE ME DIGAM A VERDADE; EU DECIDO SE ELA DÓI OU NÃO

Postado por Valentin Ferreira

Ninguém gosta de ouvir mentiras. Não gostamos das mentiras piedosas, nem de que decidam por nós o que devemos saber ou não. Se a verdade vai nos machucar, somos nós quem temos que decidir isso.

As pessoas têm a mania de ocultar coisas que fazem, dizem ou pensam porque acreditam que assim evitam fazer mal aos outros. Mas não, na verdade não há nada tão dilacerante quanto a mentira, a omissão e a hipocrisia. Com eles, nos sentimos pequenos e vulneráveis, e ao mesmo tempo, gera-se desconfiança e insegurançafrente ao mundo.

Não há nada que nos rompa mais por dentro e que nos revolva as vísceras tanto quanto que decidam por nós, que traiam nossa confiança ou que nos assumam incapazes de tolerar e vivenciar certas experiências.

Continue Lendo