RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS

Problemas, problemas e mais problemas, quem não tem muitos ou pelo menos alguns?

Por Maria Luiza Rodrigues

A humanidade lutou contra muitas adversidades para chegar até este presente momento e ainda continua com imensas batalhas, tentando compreender o mundo que nos cerca a fim de que possamos viver melhor. A existência humana é repleta de desafios e, por vencermos uma série deles, ainda estamos habitando o nosso planeta. Vencer esses desafios significa solucionar problemas. Então, eles fazem parte natural de nossa existência humana e resolvê-los é crucial.

Em alguns momentos da vida, tudo parece uma grande confusão, estamos cansados, tristes e deixamos os problemas acumularem-se por não sabermos o que fazer, por onde começar.

Continue Lendo

A ERA DOS COLETIVOS DE SOLIDÃO, Por Boaventura de Souza Santos

A dominação social deste século só sobreviverá se criar novos sujeitos. Sociedades, onde os diferentes se relacionam, precisam ser reduzidas a massas inertes de indivíduos-dados. Esta distopia é, também, o calcanhar de aquiles do projeto

A combinação tóxica entre capitalismo, colonialismo e patriarcado que caracteriza este início de século, longe de ser apenas uma dominação tricéfala particularmente virulenta nos modos de exploração e de discriminação que privilegia, está assumindo a dimensão de um novo modelo civilizatório, uma nova era que, muito além de desfigurar as instituições, as representações e as ideologias preexistentes, propõe-se criar novas subjetividades para quem o novo modelo é o único modo imaginável de vida. É um processo em construção e obviamente só se consolidará se não houver resistência eficaz. Para que tal resistência ocorra é necessário fazer um diagnóstico radical do que está em causa. Como qualquer outro processo histórico, tem uma longa e sinuosa evolução. Sendo uma evolução civilizacional, contou com cumplicidades de forças ideológica e politicamente muito díspares. Foram essas conivências que tornaram possível o consenso de que o processo era irreversível e não havia alternativa.

Continue Lendo