LIBERALISMO É UMA LOJA DE CONVENIÊNCIA DO GOVERNO, NÃO UM POSTO IPIRANGA

Debandada é sintoma de que Guedes e reformas fraquejam sob Bolsonaro ~ IMAGEM: UOL ECONOMICA

Por Vinicius Torres Freire

debandada no ministério da Economia vai dar a impressão de que Paulo Guedes está se desmilinguindo, pelo menos em um primeiro momento. Pode ser que, a seguir, o governo dê algum indício de que o ministro está firme, a fim de evitar salseiro imediato no mercado financeiro. Afinal, donos do dinheiro acreditam que, mal e mal, Guedes é por ora a garantia de que Jair Bolsonaro não vai rasgar o contrato do produto que compraram na eleição: o teto de gastos e algumas “reformas”.

Continue Lendo

MAIS DE 8.000 JUÍZES RECEBERAM ACIMA DE R$ 100 MIL MENSAIS AO MENOS UMA VEZ DESDE 2017

De 2017 a abril deste ano, 55,7% das remunerações a juízes extrapolaram teto constitucional

Por Matheus Teixeira /Folha S.Paulo

O Judiciário brasileiro pagou remuneração mensal acima de R$ 100 mil a 8.226 juízes ao menos uma vez entre setembro de 2017 e abril deste ano. O teto constitucional do setor público é de R$ 39,3 mil por mês.

No mesmo período, foram feitos ao todo 13.595 pagamentos além dos R$ 100 mil. Isso porque houve casos de magistrados que receberam o montante em mais de uma ocasião. Vencimentos acima de R$ 200 mil foram pagos 565 vezes a 507 juízes.

Continue Lendo

ONU RECOMENDA QUE BRASIL RECONSIDERE SEU PROGRAMA DE AUSTERIDADE FISCAL

Postado por Valentin Ferreira

Para as Nações Unidas, pobres estão sofrendo “como resultado de medidas econômicas restritivas em um país que já foi exemplo de políticas para reduzir a pobreza e promover a inclusão social”

Relatores em direitos humanos das Nações Unidas (ONU) recomendam que o Brasil reconsidere seu programa de austeridade fiscal e coloque os direitos humanos de sua população, que está sofrendo duras consequências, no centro de suas políticas econômicas. “Pessoas vivendo na pobreza e outros grupos marginalizados estão sofrendo desproporcionalmente como resultado de medidas econômicas restritivas em um país que já foi considerado exemplo de políticas progressistas para reduzir a pobreza e promover a inclusão social”, disseram nesta sexta-feira (3).

Continue Lendo