A VACINA DEU A MEDIDA DE BOLSONARO

Carreata pelo impeachment de Jair Bolsonaro em Salvador – PC do B

Por Celso Rocha de Barros

O início da vacinação no mundo deu ao público brasileiro algo que ele ainda não tinha: uma medida precisa de como a atuação de Jair Bolsonaro no combate à pandemia de Covid-19 foi pior do que a dos outros governantes.

Por maiores que fossem os números de mortos brasileiros, não era fácil para boa parte do público compará-los com os de outros países, quanto mais relacioná-los às políticas de combate à pandemia adotadas em cada um deles. O desastre nos Estados Unidos, de longe o país estrangeiro sobre o qual os brasileiros têm mais informação, permitia aos bolsonaristas mentir que a tragédia brasileira era inevitável. Quantos brasileiros sabem que a bem governada Nova Zelândia voltou à vida normal antes da vacina por ter feito o exato contrário do que fez Bolsonaro?

Continue Lendo

O MUNDO SEM TRUMP

Imagem: Reprodução Google

Por Cristina Serra

Nunca uma eleição foi tão crucial para os Estados Unidos, o mundo e o Brasil. A derrota de Trump é a única opção para os que se preocupam com a democracia e o bem-estar da civilização. Sua política criminosa de separar crianças de seus pais imigrantes já seria motivo suficiente para desejar não só seu malogro como sua prisão por crime de lesa-humanidade.

Mas ele vai além, ao corroer a democracia aos poucos e por dentro, como cupim. Trump desacredita eleições, regras e instituições. Mente e agride. Estimula grupos racistas e milícias, investe na violência e no caos, semeia ódio. Esticou a corda a tal ponto que aventa-se a possibilidade de conflitos armados nas ruas, caso não seja o vencedor. Quem diria, os EUA com vapores de república bananeira.

Continue Lendo

VITÓRIA DE BIDEN, DERROTA DE BOLSONARO: ONDA DEMOCRÁTICA VARRE O CONTINENTE

“Count every vote” (conte cada voto), pedem os democratas dos EUA. Americanos votaram como nunca e vão ditando a política mundial como sempre.

Por Ricardo Kotscho

Assim como a vida da gente, a política é feita de ciclos. Nada é para sempre, ainda bem. Na noite de quinta-feira, dia 5 de novembro de 2020, um deles se fechou.

Ao final do escalafobético pronunciamento de Donald Trump na Casa Branca, que classificou de “triste, verdadeiramente patético e perigoso”, o âncora Anderson Cooper entrou ao vivo na CNN americana e jogou a pá de cal:

“Esse é o presidente dos Estados Unidos. Essa é a pessoa mais poderosa do mundo, e nós o vemos como uma tartaruga obesa, de costas, se debatendo no Sol quente, percebendo que seu tempo acabou”

Continue Lendo

“PAI NOSSO QUE ESTAIS…”

Por José Roberto ToreroDiário do Bolso

Ah, Diário, hoje é o grande dia!

O Donald vai conseguir a reeleição? Ai, ai, ai…

Se ele não se reeleger, a coisa vai ficar preta. Ou azul, que é a cor dos comunistas do Partido Democrata. Aquele tal de Bidê não pode ganhar! Senão vai chegar com aquele papinho de preservar a Amazônia, que não pode fazer queimada e coisa e tal…

O Ricardo Salles e o Ernesto Araújo estão morrendo de medo. O Ernesto até encomendou uma vela de sete dias para o Trump. E com o formato da Estátua da Liberdade. O Ricardo fez questão de acender. Mas usou um lança-chamas. Estragou tudo.

Continue Lendo