A CONVERSINHA DO VOTO IMPRESSO

Por Moisés Mendes

Tem muita gente boa dando corda para a ideia de Bolsonaro em defesa da adoção do voto impresso. Os argumentos são ingênuos, quase colegiais.

O primeiro é este: se o voto impresso for adotado, tira-se de Bolsonaro o principal pretexto para um golpe, caso ele venha a ser derrotado, como será.

Outro argumento defende que o voto impresso pode ser adotado porque tecnicamente é viável e até razoável sob todos os pontos de vista, inclusive de custos.

São dois argumentos simplistas demais. Há um custo, um só, que o país não pode pagar. É o de se submeter às vontades e às ordens de Bolsonaro.

Continue Lendo